quarta-feira, 1 de julho de 2015

Gayle Forman - Para onde ela foi



O que tem o livro 1 de divertido, tem o 2 de sombrio, soturno, mais enrolado, a coisa meio confusa no início... aí você pensa: mas que borosta, eu me empolguei tanto com o 1º, recomendei e tudo, pra isso?????!!! Bom, calma, vamos dar uma chance para a escritora, afinal ela arrasou no 1º... vamos ver como fica. E ficou!

O livro 1 termina (spoiler, se você não leu, não continue. Perigo!!) com Mia apertando a mão do gatinho sugerindo que ela ficaria bem e seriam felizes para sempre, não é? Mas se fosse não teria o 2º livro. E quando comecei a leitura deste 2º, tomei um susto quando ele começa com o Adam (pensei até que não seriam os mesmos personagens, de tão diferente que ele estava) fumando, mãos trêmulas, um roqueiro de sucesso às vésperas de sua turnê pela zoropa. E aí fui me desesperando e pensei: o que essa moça (a autora) fez com esse TDB?? Era tão perfeitinho... ownnn...

Adam começa o livro 3 anos depois daquela cena tão pungente. Sozinho num quarto de hotel, fumando, coisa que não fazia antes, e dependente de drogas lícitas, comprimidos estilo Dr. House. E tadinho, numa deprê danada. Ele mudou da água pro vinho.

Ele está separado de Mia, cada um foi pro seu lado assim que ela se recuperou do coma. Pouco depois, na verdade, quando ela é admitida na faculdade de música em Nova York. E não vão assumindo que a culpa é dele, pois não é. Mia estava atravessando um período muito difícil em sua vida, e não vamos nos esquecer que ela tinha apenas 17 anos quando seu mundo veio abaixo. E toma algumas decisões também duras. Entre elas a separação de Adam.

E ele, como todo bofe e gato, acaba caindo no mundo, no caos, nos braços de qualquer piri que cruzasse seu caminho. Saiu kinem boi solto no pasto. Pegando geral! E nesse pega-pega acabou encontrando uma ex-modelo, produtora de Hollywood que dá a maior força pra ele. Quer dizer, é uma mulher bonita, bem resolvida, e que não dá muito trabalho a ele. Não é exigente... e ele vai seguindo sua vida. Acaba num relacionamento que é conveniente, mas nunca seu ideal. Ele ainda amarga o fim do namoro com Mia e não se entrega a ninguém.

As coisas também não andam bem na banda, pois ao acabar seu relacionamento com Mia, ele pira e comete alguns atos que não foram bem pra banda. E isso rende juros. Conclusão: ele continua na banda, pois as letras das músicas feitas por ele pós-Mia fazem um sucesso estrondoso e eles decolam. Mas a banda fica num canto e Adam no outro.

Vocês devem ter percebido que estou focando mais no Adam, mas é por que este livro é contado por ele, pela sua ótica. E ficou muito bom, apesar do seu começo meio atropelado e, de certa forma, meio decepcionante, por que eu esperava que eles tivessem um desafio neste livro sim, mas não tanto, meldels!

Foi duro ver como eles chegaram a tal ponto, mas calmaê que as coisas se ajeitam. Apesar de Mia estar num canto do país e Adam em outro, eles acabam se encontrando e pimba! Chega de spoiler, vá ler o livro!

O livro é muito bom, mas bem diferente da leveza do 1º livro, apesar da tragédia ocorrida. Isso não desmerece este livro em nada, continua muito bom. Tanto que estou recomendando a leitura. Mas se por acaso você é daquelas que não suportam ler livros em que o mocinho traça outras, cuidado com este aqui. Apesar de no meu ponto de vista não ter traição, já que ambos estão separados (contra a vontade do Adam) quando ele retoma sua vida, e isso um ano após o rompimento. Ele ainda ficava esperando que ela voltasse atrás. Mas não crucifiquem muito a pobre da Mia. A coitada também passou por um trauma do cão.

Então é isso. Recomendo a leitura, até tem algumas partes engraçadas, mas nada como o primeiro.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tradutor

ÚLTIMAS POSTAGENS