domingo, 2 de agosto de 2015

Mia Sheridan – Finding Eden – Continuação de Becoming Calder



É obrigatória a leitura deste livro se você não quiser arrancar os cabelos ao acabar de ler o Becoming Calder. Mostra o que aconteceu com os dois depois da tragédia em Acadia. Vai cada um para um lado, achando que o outro está morto. Uma penúria danada. Só sofrência. Mas me apaixonei por esses dois livros. Muito bons, muito mesmo!

A tragédia mexe com os dois. Por causa do envolvimento de um policial na seita, eles temem ir às autoridades e somem no anonimato. Este livro é contado mostrando o ponto de vista dos dois, e depois de três anos separados pelo destino.

Eden pena pelas ruas até ser encontrada por um senhor benevolente que a leva para sua casa. Ela se torna professora de piano da neta dele e em troca ganha um lar. E quando seu benfeitor morre, ela ganha de presente o que mais estava buscando. Uma referência para encontrar sua família. Ela sofre a perda de Calder em cada osso de seu corpo. Não se conforma com a perda e convive com ela a cada segundo de cada dia.

Mas Calder, como acabou fugindo de Acadia com Xander, recebe incentivo para superar a perda.Trabalham numa empreiteira e vão levando sua vida. Com muita dificuldade, sentindo a falta de Eden o tempo todo, Calder começa a pintar. Nesse ínterim ele conhece a dona de uma galeria e, mais uma vez incentivado pelo amigo, vai chorar no ombro da Madison, a dona da galeria, que é lugar quentinho. Mas é claaaro que homem sofre de forma diferente, né não? Pior que nem dá pra ter raiva do bofe, por que ele achava que sua amada tinha batido a caçuleta. E Xander dá a maior força pra ele seguir em frente com sua vida.

Pois bem, ele praticamente mora com a Madison, já que seu apê é um cafofo miserável. E estava kinem minha casa, em obra. Putz... e nessas coincidências infelizes de livrinho, Eden é praticamente forçada por uma amiga a ir numa vernissage de um novo artista. Quando Eden olha o folder da galeria, bate aquela coisa nas suas entranhas, um siricutico que não era dor de barriga nem fome. Ela olha o trabalho do artista e pronto. Na mesma hora corre pra galeria conferir se o artista era seu amado. E era.

Caaaraaa, que situação!!!! Visualize. O carinha quando começa a pensar que as coisas estão entrando nos eixos em sua tão atribulada vidinha, vem a autora e pimba. Bagunça com tudo. Lá estava ele, colhendo os louros de seu trabalho quando entra pela galeria quem?? Eden... e ele quase tem um treco. E não, não vou contar mais.. vá ler o livrinho!

Bom, trocando em miúdos, eu quase tive um treco também. Uma gastura. Eu me imaginei na situação da pobre da mocinha, vendo Calder ali, na distância de um braço... e com namorada. Aaaaah, tadinha da bicha. Mó pena, viu?? Mas não temam ler o livro por causa desse pequeno probleminha. hahaha. Na verdade as coisas dão uma boa embolada nesse comecinho, mas depois vai desenrolando. O que seriam dos livrinhos se não fossem esses dramas... ai ai. Esse aqui tem drama pra dar e vender, mas o resultado é um livro danado de bom. Podem ler sem medo de ser feliz!

Confesso que adorei o livro, apesar dos tropeços e percalços até eles se acertarem. Mia Sheridan acertou nessa série dos signos, e está cada um melhor que o outro. Mia mais uma vez arrasa, lembrando que nosso Archer, da Voz de Archer, vai aparecer nas telonas. (não vejo a hora!).





2 comentários:

  1. Boa tarde, como sempre uma ótima resenha, parabéns. Eu gosto da escritora, mas parece que a cada livro é mais drama, mais tragédia, ela podia amenizar um pouco. Mas também recomendo, se bem que a Éden deveria ter tido outro amor também, não acho justo essas autoras só beneficiarem os mocinhos, elas tem que pensar que a maioria que lê romances somos nós mulheres. Beijos, uma ótima semana. Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Fê. As autoras são machistas...hahaha. Bom, realmente esses livros da Mia são bem assim, recheados de dramalhão. Lembra os antigos livrinhos de banca que era uma sofrêeencia.
      Mas gosto dos casais e das histórias. Normalmente são casais fofos, menos o Leo, que achei um calhorda....hahaha.
      Tanto foi que nem fiz resenha pra ele, fiquei com muita pena da mocinha.
      Tem outro livro dela que merecia uma resenha e vou fazer, que é o Stinger, bem lembrado pela Jujuba.
      História porreta também, mostrando um mocinho que é ator pornô e a mocinha advogada. Muito legal.
      Fê, é um prazer receber seus pitacos sempre muito bem-vindos por aqui.
      Bjsss

      Excluir

Tradutor

ÚLTIMAS POSTAGENS