domingo, 11 de outubro de 2015

Chris Almeida&Cecilia Aubrey – Alternate Connection#3º da Série Countermeasure




Taqueoparola!!! Mil vezes! Como se já não bastasse todas as séries em que me viciei, agora mais uma. O 1º livro foi muito bom, o segundo maravilhoso, e parecia que seria impossível se superarem. Mas conseguiram. Neste terceiro livro eu fiquei parecendo viciada em droga. Pra todo canto que ia eu levava o kindle agarrado comigo. Fila? Sem problema. Abria correndo pra ler. O servidor do trabalho demorando a carregar? Ô glória! Aproveitando pra ler urgente. Foi assim até que de quarta pra quinta não consegui dormir de tão tensa estava para ver como acabava a história. Livro com capítulos curtos são assim. Você lê um e fala... só mais um. Quando vê lá se foram váaarios. E eu kinem zumbi no dia seguinte.

Nos livros anteriores a gente conheceu Nathan, ou Nate, como Cassie gostava de chamá-lo. Um bom amigo dela da época da CIA, eles se conheceram no 1º dia do treinamento. Nate ficou enrabichado por Cassie e eles foram bons amigos até que um belo dia Jessica convence Cassie a dar uma chance ao cara. O tiro saiu pela culatra, por que em seu afã de matar a vontade de anos, Nate simplesmente nadou pra morrer na praia. O cara foi com tanta ânsia que acabou deixando Cassie insatisfeita, e dali por diante, o que poderia ser acabou não sendo... hahaha. Tadinho, e ele ficou muito pau da vida quando Trevor entrou em cena e roubou Cassie debaixo do seu nariz.

O que não sabíamos era que Nate já tinha uma história nada boa pregressa. O livro começa 10 anos atrás quando Nate foi estudar na Inglaterra e fez amizade com Phillip, um cara mais velho que era militar. Quando seu bom amigo resolve apresentá-lo para sua namorada Rachel, aí ferrou tudo. Ele bate os olhos nela e foi amor à primeira vista. Cara, e ele já vivia uma situação em casa nada muito boa. Pai militar superenérgico+mãe molenga=mocinho cheio de siricutico.

Rachel o trata bem, mas a gente sente que rolou um climaço. E Phillip nem tchum pra coisa. Ainda chama o amigo para ser padrinho do casamento, o que realmente acontece. Nate resolve se afastar para não sofrer à toa e acaba se envolvendo nessa coisa com Cassie.

Depois de 10 anos, Cassie bem casada, Nate revoltado da vida, ele é chamado na noite de Natal pelo seu chefe para ir numa missão a fim de resgatar uns reféns em Tel Aviv. Ele aceita e parte para encontrar seu parceiro, o que acaba o frustrando de montão, pois gosta de trabalhar sozinho. E não é que uma das reféns vem a ser sua amada Rachel? Pois foi só saber que Rachel estava em perigo que sua paixonite por Cassie acaba em dois tempos, bom pra Cassie, e um inferno de uma nova onda de frustração e temor para Nate.

Rachel foi casada, mas seu marido Phillip morre, deixando Rachel para resolver o mistério de seu assassinato, o que partiu de dentro da Embaixada de Israel, onde ele trabalhava. Rachel então volta a trabalhar para tentar reunir provas para colocar atrás das grades quem perpetrou tal abominação.
A emboscada acontece quando a comitiva dos membros da Embaixada vai rumo ao aeroporto para embarcar num voo pros States, mas o carro da frente é parado por terroristas e alguns morrem. Seis são levados reféns para uma localização que nem George, o amigo nerd de Trevor, consegue achar.
Começa aí a girar a roda das engrenagens que dão partida ao livro mais eletrizante que já li tem uns tempos. Conseguiu superar o livro anterior, dos russos, que já me deixou roendo as unhas. Uma equipe formada por Seals Black Ops (ai meus sais, esse bandihomi TDB me deu afliceta nível máximo), supervisionado pelo Seal mais punk que já vi, o Hanson, e Nate representando o serviço de inteligência da CIA, todos ajudados por Trevor Bauer.

Pausa para comentar: Trevor parte para o Oriente Médio e deixa Cassie para trás. Isso causa uma DR que rende boa parte do livro. Cassie fica chateadíssima, e Trevor por um lado fica aliviado ao saber que ela não vai correr riscos dessa vez, e por outro fica pesaroso ao deixá-la para trás do jeito que deixou, pois desde que se uniram nunca mais se separaram. Trabalhando um de frente pro outro, isso os deixou meio fora do eixo. Mas cenas muito legais vieram daí.

Nate vai para essa empreitada com o coração dividido também, pois antes de Phillip morrer ele pede ajuda a Nate, que sendo o cara certinho que é não atende ao pedido do amigo, deixando um gosto amargo na boca tanto dele quanto de Rachel, que acaba culpando Nate pela morte de Phillip. Essa foi a causa do afastamento dos dois, mas as coisas eram maiores do que pareciam.

Muita ação, muitos mistérios, muito terrorismo, muitas cenas fortes, mas garantido um excelente livro para quem gosta de um thriller pra ninguém botar defeito.
Fica a dica pra quem está a fim de ler uma história porreta!!

Me segurei para não dar muito spoiler, e garanto que não dei. Nem falei a metade do que queria... rs.
Só um adendo: o livro termina de um jeito que dá vontade de matar os autores. Como assim: Continua...? Meldels! Vou ter que aguentar um tempão até saber que diabos tinha naquele esconderijo!! Rsrsrs. Agora é rezar para eles correrem logo com o 4º livro. E já vou adiantando que os seals que participaram desse livro terão livros deles também. Ufa! Menos mal, pois fiquei gamada no Hanson. E o espírito de porco nerd do Trevor estava ligado ao máximo nesse livro, esse Trev não vale o que a gata enterra.



2 comentários:

  1. Muito obrigado pela resenha! Esperamos dar todas as respostas no proximo livro. ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns pelo excelente livro!! Muito bom!
      Agora aguardando ansiosa o livro do George. Capricha na mocinha, pq o George é um fofo...rs
      Bjss

      Excluir

Tradutor

ÚLTIMAS POSTAGENS