domingo, 25 de setembro de 2016

Cambria Hebert - Nerd #Série Hastag 1

 
                                                                 
 
Pra você que estava esperando uma série contemporânea do balacobaco, leia essa urgente. Muito, mas muito boa, e viciante. Recomendamos com força essa série toda!
 
Comecei a ler essa série quando a Ana K me indicou dizendo que era de jogador de futebol americano e de uma nerd. Dãaa. Aí eu paguei pra ver, e ainda tô pagando. Comprando todos os livros que saem... kkkk. Muito boa mesmo. Vá na fé. Agora vamos (eu e Ana K) falar um cadinho e tentar dar o mínimo de spoiler (tá difícil, hein?).
 
A nerd universitária com uma bolsa de estudos querendo fazer medicina veterinária é obrigada pelo reitor a ser tutora do astro do time de futebol para garantir sua bolsa. Rimmel quica, sapateia, bate os pezinhos, sabendo que tem que ficar de babá de um orelhudo, pois é assim que ela vê o TDB fodástico da universidade. Sem ter como evitar, ela concorda, fazer o que, né? No primeiro encontro, ela tá que nem uma idiota esperando na biblioteca pelo carinha aparecer. E cadê o bofe? Ele chega atrasado, depois deixa a bicha falando sozinha e escapole para traçar uma piri entre as estantes. Rimmel dá falta do cara e vai atrás. Ouvindo os barulhos abafados, ela espia e vê a piri dando um trato com a boca no atleta.
 
Ahhhh, péssimo começo para o livro, né? Confesso que quase desisti de ler depois desse trechinho. Aí pensei: que mané! Não vou ler essa bagaça não. Mas como tenho TOC, o que começo termino, aí fui em frente e não me arrependi. Que fique claro que isso é bem no comecinho do livro. Depois disso o cara não escamoteia.
 
Rimmel era centrada nos estudos e dividia seu quarto com Ivy, uma menina meio desmiolada e festeira que acaba no colo do Romeo numa festa na fogueira, mas a coisa não passa de um flerte. Que fique bem claro que foi pela vontade de Romeo que ficou só nisso. Ela que não é boba, queria mais (aliás, eu tb não sou, quero mais tb!!).
 
 Rimmel em seus momentos de folga era voluntária do abrigo de animais e tinha uma quedinha pelo Murphy, um gato todo estrupiado e sem um olho. Ninguém o queria e Rimmel sempre dedicava um tempinho extra a ele. Ela se achava feia, sem graça e não olhava para os carinhas, muito menos os gostosos. Mal sabia ela, coitada...
 
Romeo por outro lado era gato, gostoso, de uma família bem de vida e cujo objetivo era ser profissional do futebol e ser aceito na Alpha Omega, fraternidade que seu pai frequentou e toda sua família. Então o papai do Romeo botava a maior pressão pro filhote seguir seus passos. O único problema? O presidente da fraternidade, Zach. Esse aí não valia um tostão furado. Bela aparência e coraçãozinho gelado. Doidipedra.
 
Aí, depois que Romeo e Rimmel começam a se encontrar para estudar (o que eles quasem não fazem), eles atraem a atenção do #BuzzBoss, que nada mais era que um perfil de rede social do campus, o #AlphaBuzzFeed. Trocando em miúdos, era para ser um mecanismo da faculdade se comunicar com os alunos, mas virou a redeboataria do lugar, um centro de fofocas, mexericos e siricuticos. É uma incógnita ao longo de alguns livros quem era o BuzzBoss. Neste livro não esclarece... mas a gente fica doidinho querendo saber quem é o cabeça da coisa.
 
Por incrível que pareça, Romeo se apaixona por Rimmel, mas eles enfrentam vários obstáculos no caminho. Romeo era muito popular, atraía atenção, e Rimmel era um ratinho de biblioteca, desajeitada, vivia se estabacando, achava-se muito aquém de estar ao nível do astro do time.
 
Preparem-se para se apaixonarem por essa série. O livro é dinâmico, surpreendente, refrescante, você dá ótimas risadas com ele. Mas claro, tem seus momentos de drama. Leiam que vão gostar.
 
 
Pitacos da Ana K
 
 
Comecei essa série com altas expectativas, por que a sinopse me lembrou muito a série Sweet da Tillie Cole, uma das minhas favoritas. Felizmente, não quebrei a cara por que a Hashtag é tão boa quanto a Sweet. A história é ótima, adorei o casal e a autora manda muito bem na escrita.
 
Como nem tudo é chocolate, quase larguei a série no mesmo ponto que a Tinis. Essa parte da biblioteca foi difícil de aceitar e nem tenho TOC para me prender, então foi só a sorte que me fez continuar mesmo.
 
O começo do Romeo não é muito promissor. Ele é o clássico playboy: gato, gostoso, rico e jogador estrela da faculdade. Com tudo isso, não tinha chuva na horta dele, tinha furacão e tsunami. Aliás, o nome dele não é Romeo, é Roman. Romeo é apelido justamente por que é namorador, então já dá para ter uma noção do passado do moço.
 
Eu estava achando ele meio mimadinho do tipo: "sério que a preocupação dele é essa fraternidade?" Estava quase mandando ele e a fraternidade para a pulga que pariu e indo ler outra coisa.
 
Acho que lendo isso, você deve estar se perguntando se eu REALMENTE estou recomendando o livro, né?
 
Pois estou sim, então se pelo que eu escrevi você desistiu de ler, pode pescar o Romeo do purgatório e dar mais uma chance ao bofe. Ele se aproxima da Rimmel pelos motivos errados, mas quando se apaixona... Cara, ele muda MUITO.
 
A Rimmel é muito legal, quer ser veterinária, se esforça muito pra isso e ainda é voluntária no abrigo animal. Ah, o Murphy... <3 A Rim é literalmente #nerd, dividindo seu tempo entre estudos, abrigo e mais estudos. Nem passa pela cabeça dela perder tempo com garotos, festas, jogos badalados e afins, afinal, ela já tem o futuro todo traçado. Ser tutora do queridinho da faculdade, então, é tortura medieval. E cara, ela é muito, mas muito desastrada, o que gera umas cenas muito fofas ao longo da série.
 
O melhor amigo do Rome, Braeden, é outro que é tudo de bom. Esse é ainda mais galinha que o Rome e não quer mudar (quando querem?). Ele começa a respeitar a Rim quando percebe que ela não está nem aí para a fama de "quaterback estrela" e na verdade, não quer ser associada a ele. O B é o tipo de amigo pra toda hora, embarcando nas confusões do Rome e só depois pedindo explicações. Um fofo! Fofo mesmo, viu?
 
Deixa eu falar desde já.... Não gostei da Ivy, a amiga doida da Rim, e por mim ela não tinha ganho tanta importância. A Tinis me chama de implicante, mas o que posso fazer? Quando não gosto, não tem santo que me faça mudar de opinião. Achei ela um porre e para mim só piorou ao longo dos livros (não concordo, mas numa resenha do livro dela a gente justifica a danadinha...rs).
 
Uma coisa que achei bem legal nessa série é que cada capítulo começa com uma notificação do BuzzBoss, é como se a gente também tivesse o aplicativo no celular. As mensagens vão de engraçadas a simplesmente maldosas e ofensivas. Como jogador estrela supergostoso e com altas chances de virar profissional, o Romeo é material para a maioria das notícias, e quando se envolve com a Rimmel, aí que a coisa pega fogo.
 
Encerrando, a série é muito boa, tem vários personagens ótimos e o Romeo é apaixonável (muito, muito, muito). Se como eu, você adora um jogador, não pode deixar de conferir essa série e o número #24.
 
#SeNaoLeuTáPerdendo
#RomeoAnderson
#24
#Murphy
#BraedenWalker
#CorreLola!
 
 
 




2 comentários:

  1. Depois dessa resenha, vou começar de novo, porque iniciei a leitura há um tempinho e depois dessa passagem na biblioteca deixei de lado e me dediquei a novos livros, mas agora resolvi dar outra chance, sempre leio o que vocês indico, pois, amo o jeto de resenhar de vocês, bjs. ;-D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cris, tb fui meio aversa a ler essa série e quase não li. Ainda bem que venci esse comecinho e tomei gosto. O Rome é um dos mocinhos mais fofos e gostosos de ler que já vi. Ele cai de 4´pela Rimmel e não balanceia nem um segundo dp que se apaixona. Vai na fé. Tô lendo o último e sem conseguir parar. Maravilhoso o jeito de escrever da Cambria!
      bjs
      PS. Dp volte e conte o que achou do livro. Vou ficar aguardando...

      Excluir

Tradutor

ÚLTIMAS POSTAGENS